Finger Food

Dicas de entradinha rápida para receber os amigos e a receita de coalhada seca do marido!

Como tenho viajado menos neste semestre estou mergulhada em novas receitinhas e arrumação de mesa. Muita gente me pergunta se trabalho com festa, se tenho buffet, se faço doces ou convites para fora. A resposta é NÃO. Isso é meu hobby, minha terapia. Eventualmente até faço algumas encomendas para os amigos. Mas minha vida profissional não me permite  – ainda – tocar um negócio paralelo.

Então, vamos ao que interessa por enquanto: dar diquinhas simples para você montar uma entradinha básica quando receber os amigos. Aliás, nem é preciso  receber os amigos para ter esses pequenos luxos. Estes petiscos, por exemplo, preparei para uma sessão de cinema em casa com o marido e a filhota.

Entradinhas light Coalhada Receber Bem

Como a ideia era não ficar horas na cozinha apostei no óbvio: queijos, azeitonas, pastinha, torradinhas e pão sírio (os dois últimos não aparecem nas fotos). Em um dos potinhos coloquei mirtilo (blueberry) e framboesa para levar um adocicado saudável aos belisquetes.

Se você me acompanha há algum tempo já deve ter observado que eu sou #aLoka da simetria. Para mim, um dos segredos de uma mesa/arrumação bonita é a disposição dos recipientes. Os potinhos de finger food geralmente reinam neste tipo de apresentação, dando um ar sofisticado ao mais caseiro dos eventos.

A tábua em formato puzzle (na verdade, é um suporte para panelas) comprei essa semana na Omiyague, no bairro Liberdade em São Paulo. Custa R$ 19,90. Várias lojas da região também vendem recipientes de finger food.

A pastinha da foto é a coalhada seca feita pelo marido que tem ascendência libanesa. Vou passar a receita, mas já aviso: quando eu faço, seguindo exatamente o passo a passo, não fica tão boa quanto à preparada por ele. Se você quiser tentar, anote aí! ;)

Melhor Receita de Coalhada Seca

RECEITA DE COALHADA SECA

Ingredientes

1 litro de leite integral

1 pote de iogurte natural

Modo de preparo

Leve o leite ao fogo e desligue assim que começar a ferver, ou seja, ANTES de levantar a fervura (85ºC).

Reserve o leite até que ele fique morno (para verificar a temperatura correta coloque o dedo e conte até 5. Se a temperatura estiver suportável, você  chegou ao ponto certo. (36ºC).

Acrescente vagarosamente o iogurte e misture delicadamente.

Envolve a panela com um pano de prato (tem que vedar bem!) Deixe a panela descansar por 12 horas dentro do forno (desligado) ou do forno de microondas. (Evite abrir o forno antes das 12 horas)

Após as 12 horas, retire o pano de prato da panela. Do jeito que está você obteve a coalhada fresca (igual ao iogurte).

Pegue essa coalhada e coloque num coador de pano de café (o coador deve ser SÓ para a coalhada) e deixe escorrer dentro de um recipiente por um dia dentro da geladeira.

Dicas:

1. Quanto mais tempo ficar escorrendo a coalhada, mais seca e mais ácida ficará. A gente gosta mais cremosa e menos ácida. Portanto, às vezes, com menos de 24 horas já está do nosso jeito.

2. Não é necessário comprar uma “coalhada matriz”, o iogurte natural já é uma coalhada. Para fazer uma segunda receita, você pode guardar uma porção da coalhada fresca (antes de escorrer) e usá-la no lugar do iogurte natural.

3. A coalhada pode ser servida com torradas, pão sírio e até em pequenos sanduichinhos recheados com a coalhada, azeite de oliva, azeitonas picadas e gergelim.

Instagram Matraqueando Silvia Oliveira

Posts relacionados

Cake Pop: receita com passo a passo para você fazer bolo no palito

Festa do Sanduba: como improvisar um encontro com amigos em menos de 24 horas

Fotos: Sílvia Oliveira 

Ano Novo: decoração prata com dicas fáceis e econômicas para comemorar em família e receber os amigos

Minha mãe e eu tivemos pouco mais de dois dias para organizar tudo. Havia passado o Natal na casa dos sogros em Maringá e cheguei a Londrina três dias antes da véspera de Ano Novo.

Eu estava com a cor prata na cabeça (embora minha mãe preferisse o dourado. Mas acho que o dourado tem mais a ver com o Natal.) O pânico, porém, começou quando me dei conta de que na casa dela não havia n-a-d-a prateado. Nem fitas, laços, bolas, nadica. Nem sequer louças em prata.

Como não abri mão da cor quebramos a cabeça para resolver a seguinte questão: como fazer uma decoração na cor prata que ficasse elegante, afetiva e, ainda por cima, sem gastar muito. (Afinal, ia ser bem difícil a gente encaixar uma decoração nesse tom em qualquer outro evento nosso!)

Fuçamos na internet atrás de dicas legais e com as ideias criativas das duas Matracas resumimos nossa compra de decoração em: bolas pratas em vários tamanhos, uma fita prata aramada, uma fita de cetim cinza prateado, duas velas prateadas compridas (as velinhas pequenas nós tínhamos), dois sprays na cor “alumínio”, velas com os números 2.0.1.3., caixinhas de papel para lembrancinha e wrappers, aqueles rótulos de cupcakes! (Aqui, investimos uns R$ 100).

A ideia era montar uma mesa decorada com finger food e petiscos. Escolhemos as louças que íamos usar (na decoração, não para comer!), e incluímos taças, pratos de bolo com suporte e recipientes de finger food que eu havia levado… na mala!

Eu queria pendurar bolas em tamanhos e texturas diferentes no teto, atrás da mesa. Só que na parede onde a mesa ficaria encostada tem uma porta de vidro enorme que dá visão para a sala, o que prejudicaria o “fundo” da nossa mesa decorada. Então, minha mãe mais do que depressa providenciou um varão, não sei quantos metros de voil que ela já tinha em casa e improvisou uma cortina. Rá!

Itens de decoração que ajudaram a compor a mesa:

1. Taças cheias de bolinhas pequenas e um ramo de galho seco pintado com spray na cor alumínio. Nos galhos também penduramos algumas bolinhas. (Veja algumas ideias para trabalhar com galhos secos nos blogs Isso Me Faz Feliz e Casos e Coisas da Bonfa.) Em vasos de vidros minha mãe preparou uma base de sal grosso com pedras brancas (do jardim dela) para fazer nossa “árvore dos desejos”. Acomodou um galho seco e colamos votos de amor, saúde, paz, prosperidade, dinheiro… (sei que a ideia de galhos secos com votos pendurados é meio manjada, mas não resisti!) :mrgreen:

2. Imprimi o cardápio em papel sulfite A4 e coloquei num porta-retrato antigo que havia na casa da minha mãe. Deixei-o sobre a mesa principal.

3. Acomodei o tampo de uma bombonière sobre um prato de cristal. Dentro do tampo colocamos bolinhas pratas e ao redor pedras brancas.

4. O peso para guardanapos foram conchas que minha mãe pintou com o spray e colocou uma velinha dentro. ( Dica do Ideias Giras, fanpage superbacana cheia de fotos que inspiram quem gosta de decoração e comidinhas!).

5. Num aparador menor, colocamos as lembrancinhas e um prato provençal com frutas cristalizadas. (Dentro das caixinhas de lembrancinhas havia chocolatinhos e uma frase que a gente lia depois da meia-noite, uma espécie de biscoite da sorte de araque – até porque quem selecionou e imprimiu as frases fui eu. Rá rá.)

6. Neste mesmo aparador, minha mãe montou três vasinhos (ela também havia visto algo parecido no Ideias Giras) e adaptou: um com pedrinhas e uma flor, outro somente com folhagem verde e outro com macarrão (macarrão!) pintado com o spray prata! Muito fofo!

7. Um bolo falso de três andares (ensinei o passo a passo aqui) deixou a mesa mais imponente!

O cardápio ficou assim:

Drink de boas-vindas

Coquetel de frutas vermelhas  (1 garrafa de frisante, meio litro de Sprite, 250 ml de néctar de suco de uva e gelo. Misture tudo e acrescente framboesa, mirtilo e morango em pedaços). Fica bem fraquinho, é só para abrir os trabalhos! :)

Entradinhas e Finger Food

Mix de Castanhas (castanha-do-pará, castanha de caju, amêndoas, nozes, avelã, amendoim e pistache)

Mousse de Atum (receita mais abaixo)

Espetinho Gourmet (receita aqui, mas neste que fiz no ano novo eu substituí o queijo muzzarela por queijo coalho frito)

Stick de Queijo Coalho com Banana da Terra Caramelizada (os palitinhos de bambu com nó na ponta eu compro no bairro Liberdade, em São Paulo)

Dips de gorgonzola, Mostarda e Queijo Fundido (acompanhados de torradinhas integrais)

Verrine de Salada Tropical (receita aqui, mas nesta do ano novo minha mãe colocou camarão para finalizar – o que não tem na minha receita original)

Ceia

Tender du Chef

Bacalhau com Batatas ao Murro

Foto surrupiada do meu Instagram: @matraqueando

Leitoa Assada

Lentilha da Sorte

Salada de Batata Schwaebisch (pegamos a receita aqui)

Arroz Branco

Sobremesa

Verrine de Cheesecake com Goiabada (receita aqui)

Cupcakes de Chocolate Molhado (usei o bolo pronto Duo Paixão da Oetker)

Frutas Cristalizadas

Pode até parecer muita comida. Mas éramos somente em 13 pessoas (das quais cinco eram crianças!). Então apostamos numa ceia clássica (minha mãe fez a leitoa, o bacalhau, a lentilha, a salada de batata e as verrines) e diversificamos nas entradinhas, mas tudo em pequena quantidade. A leitoa, o bacalhau, a lentilha, a mousse de atum e o cheesecake foram preparados um dia antes. (Aliás, este cheesecake ficou divino!) Meu irmão levou o Tender. No dia, só montamos as saladas, fizemos o arroz e nos concentramos nos finalmentes da decoração.

Foto surrupiada do meu Instagram: @matraqueando

Sem contar que ainda tinha que comer 12 uvas nas badaladas notúrnicas. E até nisso a gente colocou firula. As uvas foram lavadas e colocadas soltas dentro de taças do tipo bico de jaca envoltas em papel de bandeja rendado. Vi a ideia neste post do blog Casa, Papel e Tesoura.

Um detalhe muito, muito foto que acabou não entrando no cardápio “oficial” foi a Salada de Tulipas preparada pela minha mãe (outra dica do Ideias Giras). É só cortar um tomate (pequeno, tipo cereja) em quatro partes, tirar o miolo e no lugar colocar uma bolinha de queijo de cabra ou queijo cottage. Mas minha mãe improvisou o “miolo” com um ovo de codorna e os caules foram feitos com ramos de cebolinha. Foi a comidinha hit entre a criançada!

Já para mim, a novidade em termos de comidinhas foi a entradinha de Mousse de Atum, uma receita deliciosa que eu provei pela primeira vez na casa da tia Vilma, em Curitiba. Ela me passou os ingredientes e eu dei uma adaptada (na receita original, por exemplo, vai ervilha, já na minha, não!)

MOUSSE DE ATUM

Ingredientes

2 latas de atum ralado

1 lata de creme de leite (não usar o soro)

½ vidro de 250 gde maionese

½ vidro de 250 gde palmito picado

200 g de azeitona bem picadinha

1 pacote de gelatina sem sabor

Modo de Preparo

Misture o atum (sem o óleo) com o creme de leite (sem o soro), a maionese, o palmito, a azeitona até formar um creme homogêneo. Prepare a gelatina sem sabor conforme a embalagem, deixe amornar bem e acrescente ao creme. Daí é só colocar em uma forma com um buraco no meio (prefira as de silicone, fica mais fácil na hora de desenformar) ou coloque em recipientes individuais (como fiz no ano novo). Leva à geladeira por, no mínimo, quatro horas.

Dica da Matraca: trabalhe com os ingredientes em temperatura ambiente. Se o creme estiver gelado e você acrescentar a gelatina morna, pó exemplo, ela vai endurecer e ficar em pedaços dentro da mousse. Daí, só o liquidificador salva. (Aliás, você pode bater tudo no liquidificador, mas acaba virando uma pasta. Eu prefiro com a crocância dos pedacinhos de azeitona, palmito…)

Se eu te falar que foi fácil, tô mentindo. Mesmo deixando muita coisa preparada um dia antes, a gente acabou naquela deliciosa correria do fui-eu-que-fiz. Mas ficou tudo como imaginamos. Sem por nem tirar. Era o que tínhamos!

No day after, cansadíssima, eu reclamando para minha mãe que a gente deveria inventar menos moda, que nossos eventos familiares dão muito trabalho… ela arremetou: “Mas minha filha, a felicidade dá trabalho!” Então a gente começou a pensar na próxima festa…

Fotos: Raul Mattar